segunda-feira, 21 de março de 2011

POST DE SEGUNDA – OUTRA VEZ!

Sim, sim, sim, outra vez venho falar dos meus queridos e amados Irmãos da Adaga Negra, a quem amo de paixão.

Sim, sim, sim, hoje tem desabafo, depois da resenha.


RESENHA


AMANTE REVELADO – J R WARD
(LOVER REVEALED)



Nas sombras da noite no Caldwell, Nova Iorque, desenvolve-se uma furiosa guerra entre os vampiros e seus assassinos. Existe um grupo secreto de irmãos como nenhum outro…. Seis guerreiros vampiros, defensores de sua raça. Mas agora um aliado desta Irmandade está a ponto de enfrentar seus próprios desejos escuros…
Butch Ou’Neal é um guerreiro por natureza. Um ex-polícial da homicídios que leva uma vida dura. É o único humano ao que foi permitido acessar o círculo íntimo da Irmandade da Adaga Negra. E quer se aprofundar ainda mais no mundo dos vampiros…. quer alistar-se na guerra territorial contra os Lessers. Não tem nada a perder. Seu coração pertence a uma fêmea vampira, uma beleza aristocrática que está muito acima de seu nível. Se não pode ter Marissa, então ao menos pode brigar lado a lado com seus irmãos…
O destino o amaldiçoa concedendo a ele o que deseja. Quando Butch se sacrifica para salvar dos assassinos um vampiro da população civil, cai preso da mais escura força da guerra. Dado como morto, é encontrado graças a um milagre, e a Irmandade chama Marissa para o trazer de volta. Mas possivelmente nem mesmo seu amor seja suficiente para salvá-lo…


SPOLETTÃO A PARTIR DE AGORA:

EU: Confesso que leio os livros da Ward com o coração na mão. Sim, porque eu quero porque quero que os casais fiquem bem logo, e é claro, o drama persiste em todo o livro, o que é absolutamente normal e compreensivo. E eu sou muito ansiosa. (ah vah, ninguém percebeu, Doida!)

No começo, no livro do Wrath (Amante Sombrio), eu achava o Butch um pé no saco, querendo atrasar o lado da Beth com o Rei. Mas a partir de quando ele conheceu a Marissa, comecei a gostar do bofe, ainda mais por ser sarcástico e espirituoso (além de perdido nesse mundo, tadenho).

Sempre torci pelo casal. Não achei, em momento algum, a Marissa sem sal ou fraquinha. A Ward soube colocar na personagem a personalidade da criação dela: preparada pra dizer “sim, amo, como quiser amo”. E cá pra nós, pelo que entendi da Irmandade, o fato dela ter sido chutada (com toda delicadeza) pelo Wrath, até eu acharia que não era nada. Principalmente pelas regras impostas pela Glymera e toda sociedade vampiresca. Hello, eles são vampiros, não humanos, apesar de viverem nos dias de hoje.

Entre idas e vindas, amei as declarações de amor dos dois, os desentendimentos, a transição dele e o fato do “minha” vir em altas doses pós transição... Aí entra o V.

Que ele tava bolado com o que tava sentindo pelo Butch é óbvio e notório, isso o livro todo. Mas também ficou óbvio e notório que o Butch o via somente como irmão e melhor amigo. Desde o livro do Wrath insinuações foram feitas, mas pelo que li e entendi, mais pelo lado do V (alguém falou ou a autora escreveu que o Butch era hetero até a medula). Esse pirou de vez no livro do B. kkkkkkkkkkkk.

Esse foi o livro mais intenso que li até agora (sim, do Z também foi, pelo fato do que aconteceu com ele), mas o fato do Butch querer virar um vampire de vez, o fato do ciúme ferrado ao saber que a Marissa se alimentava do Rhev e não podia ser dele pelo sangue humano, a transição e os riscos que corria, o perfume da vinculação (meo, a cada vez que se falava em perfumes de vinculação, eu respirava forte pra ver se sentia! Kkkkkk, loka!)... Prova que B e Marissa foram feitos um pro outro. Sem mais.

Outra coisa interessante foi o fato do B ser parente do Wrath... O pai dele era um vampire, aliás, esclarecida em aparições da família dele na história. Por isso a transição pode ser feita, ainda mais pelo fato do B ter sido contaminado pelo Ômega. Estava escrito, já dizia minha vó.

Aliás, não se vira vampiro ao ser mordido por um deles na fábula da Ward. Grande sacada!


Agora eu vou falar.

Antes de mais nada, quero só esclarecer que o que vou dizer aqui é de minha inteira responsabilidade, feito com consciência. E deixar as coisas ditas bem claras, pra que ninguém me acuse de ser preconceituosa ou homofóbica. Portanto, leia bem antes de cascar a lata na Doida.

Eu leio os romances porque gosto e suspiro por eles. Acho o relacionamento homem-mulher o mais lindo e sublime ato principalmente quando envolve amor. Até aí, ok.

Sempre li romances de banca,desde meus 13, 14 anos. Recentemente descobri outros livros (como Elloras), nos quais tem todos os tipos de relacionamentos, do jeito que se imaginar. Já li A Mulher dos Colters, onde 3 irmãos se relacionam com a mesma mulher, ao mesmo tempo. É hot, os caras são delicinhas, mas não passei disso. Ainda me choco um pouco, mas deve ser da Juventude Acumulada, se tratando dos tempos em que vivemos. Comecei a ler outros livros do mesmo segmento, mas parei em quase todos, principalmente nos temas homem-homem, mulher-mulher. Não curto, lamento. Respeito quem gosta, que vive isso, porque não tenho que julgar ninguém pelos seus atos, ou eu também seria julgada, e to longe de ser perfeita e certinha. Inclusive jamais destratei quem quer que fosse pelo fato de ser homo, principalmente porque tenho amigos que são e os amo. Outro ponto esclarecido, ok.

Agora vou ao ponto desse meu desabafo. E já vou avisando que não estou cacetando ou fazendo motim contra ninguém, porque quem me falou algo foi uma amiga muito querida minha.

Sempre entro nas comus que falam da Irmandade e vejo os coments. Vários lamentando o fato do Butch não ter ficado ou ter tido um caso com o V. Todos comentando a covardia da Ward, a Marissa é chata, bla bla bla. Comentei no Twitter que já tava cansada de todo mundo ficar falando que o B deveria ter ficado com o V. Falei o que quis, agüento as conseqüências.
Me foi dito que por causa de leitoras como eu, a Ward amarelou na relação dos dois. Oi? Segundo informações das comus, teria uma possibilidade disso, dos 2 ficarem juntos. Mas não ficaram e eu simplesmente agradeço a Ward pelo bom senso. FALO ISSO POR MIM, deixar bem claro.

Ou eu fui chamada de ignorante ou a Ward foi uma covarde sem personalidade. O livro é dela, ela faz o que bem quer. Lê quem quer também, os incomodados que se mudem (isso pra mim).
Lamento, mas como já disse, não curto os relacionamentos homos nas histórias. Não consigo ver beleza em cenas desse tipo. Ward sabe escrever a cenas hot de uma forma magnífica e crua, e eu não me vejo lendo e amando, como quando são com as Shellans. Aliás, Butch chamando V de Shellan ia ser o ó, neah?

Comecei a ler a série por ser de vampires e sedutores. Pelo menos os 4 primeiros livros foram assim. Mas já fiquei sabendo por alto que vai ter um caso entre Blay e Qhinn... Acho que vou pular esse. Kkkkkk. Boiolagem vampiresca não cola.

Ou eu volto pros meus livrinhos de banca “simprinho”, onde a mocinha é bocó e o mocinho é ogro. E viva DP!
Bom, posso voltar também pros Vampires da Linsay Sands e Hannah Howell. São seis e umas delicinhas.

Sim, são só livros, só ficção. Mas eu não preciso achar tudo normal porque estamos no século XXI. Pra mim, nem toda forma de amor é válida. Lamento.

Pode me chamar de velha, ultrapassada e o escambau. Mas não sou hipócrita. Cada um é cada um, e eu respeito a sua opinião, assim como você deve respeitar a minha. E não é puritanismo, não. É escolha. Não sou obrigada a gostar de algo que não me agrada, nem esconder minha opinião porque o fulano ou ciclano vai me detonar.

Fim.


CONEXÃO GERARDÃO


Tem dias que tem demais, tem dias que tem de menos... Vai entender.

Loreal em italiano (primeira foto).



O bonitón na Lousiania (entre dragonetes fãs). Kkkkkkkkkkkkkk.



Fala a verdade, essa é de doer de tão linda! *____*!



Mais uma de MGP, na África.



Uma foto, que apesar de linda e “séquiçi”, é montagem:




COISAS DE DOIDA

Afora o instinto selvagem que me acomete esses dias, eu continuo na mesma. Mas mudanças virão e aí sim, posso tentar recomeçar do recomeço. Sacou? Recomeçar do recomeço! Porque pra mim é sempre assim. Oras.


Aqui em casa nós tratamos os times rivais com respeito:



Sim, foram achados no lixo. É bom, assim economizo na compra de panos de chão. Nem nos meus cachorros uso essa toalha. Cruzes!


Por hoje é só. Vou tentar terminar de ler o Reynold de Burgh... Mas ta difícil. Truncado demais, meo!

Bjs.

18 Marcando Presença!:

Aline disse...

Carla: o bom é que vc fala mesmo e pronto! Eu adoro os livros da Irmandade e mais ainda os não convencionais. Acho lindo o lance entre o V e o B, entre o Blay e o Quinn. Sim, eu acredito em todas as formas de amor, pq penso que o que se ama é o interior da pessoa, não o corpo. Daí, se vc ama uma pessoa q entá no corpo errado, paciencia... Só nõ acho certo essa história de très irmãos com a mesma dona... aí a minha juventude acumulada fala mais alto... kkk
Sou fã da Ward e da forma como ela mantém os personagens. E não vai ser por causa de um caso entre dois machos q vou pular o livro. Mas opinião é igual nariz... cada um tem o seu! kkk
Agora nosso ídalo é demais, mesmo. Ô homi gatão...

Carla Blackhawk disse...

Aline, quando se ama alguém no sentido romântico, corpo conta, flor. Faz parte.
Bjs, valeu por comentar.

Suelen Mattos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Suelen Mattos disse...

Eu não consigo gostar da Marissa, rs... Achei que o Butch merecia lgo melhor... Qndo ela empacava... Jesus!!! Eita vontade de dar uns sacodes nela, kkkk Vamos ver qndo meu livro chegar e eu ler de novo, se consigo simpatizar com ela a 2ª vista, rs...

Já o V e o Butch... com todo o respeito a quem torcia por eles, mas seria muito sem noção. Concordo contigo. E eu ficaria muito, mas MUITO decepcionada se a Ward colocasse os 2 juntos. E fica tranquila, Carlinha, pq NÃO foi por causa de pessoas como NÓS que V e Butch não ficaram junto. Pra quem é fã e acompanha MESMO a Ward sabe que o destino do Butch era MESMO a Marissa, desde o começo da série ;-).

Qhuinn... Não quero ele com o Blay de jeeeito nenhum. Na MINHA opinião, ele deve ficar com uma fêmea, como ele disse que sentia que ficaria logo nos primeiros livros da série. Já o Blay é homo mesmo, então não vejo como ele ficar com uma fêmea. Mas tb confesso que esse lance de homem-homem não é comigo. Não é preconceito, são meus preceitos. Respeito quem gosta/é, mas pra mim não dá.

Bjs!!!

Suelen Mattos disse...

Ah, uma coisinha que esqueci: Não sei porque, mas é falar no Butch e me vem o Gerardão na cabeça, kkkkkkk

Carla Blackhawk disse...

Suelen, obrigada pelo coment e por entender meu ponto de vista, ou melhor, nosso. kkkkk. Bjs.

Aline disse...

Carlitha: Viva a democracia!!!
Agora eu, quando conheci meu marido, ele pesava uns 150 kg. Gostei do interior e por isso, falo que o corpo não conta... mas que ajuda, ah, isso ajuda! kkk

Carla Blackhawk disse...

Aline, acho que a gente ta se desentendendo na colocação de palavras.. kkkkkkkkkkkk.
Quando disse corpo, não foi por tipo físico (alto, magro, gordo, etc), mas pelo relacionamento, capice? Só pra esclarecer. Bjs.

Juliana Vicente disse...

Carla, antes de qualquer coisa eu respeito seu ponto de vista e entendi o que você quis dizer.

Eu não li o livro do Butch ainda, mas de tanto ouvir falar sei que ele e o V tem uma amizade diferente. Acredito realmente que a Ward até pensou em colocar esses dois juntos, mas percebeu que não era o momento certo para isso, tanto que no decorrer da série ela criou outros personagens sendo um deles homo assumido. Não sei se ela terá coragem de escrever um livro com casal homo, mas se tiver eu não terei problema nenhum em ler.

Respeito totalmente os Gays e acho até muito fofo, tenho amigos nesse universo GLS e nada do que eles fazer me ofende.

Costumo ler livros com relações Homo, trios, duplas e etc... Eu na verdade adoro a mulher dos colters, mas acredito que muito disso tenha sido a minha criação, nunca fui ensinada a olhar de forma diferente aquilo que não comum a sociedade e sim aceitar e respeitar. O importante é o amor!

Entendi exatamente o que você quis dizer e não acho que você ofendeu ninguém, apenas explicou o que funciona e o que não funciona para você.

Super Beijo!

Carla Blackhawk disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Carla Blackhawk disse...

Oi, Ju, obrigada por comentar e entender meu ponto de vista.

Só pra completar o pensamento: Não fui ensinada a olhar diferente a qualquer coisa referente à normalidade das coisas da chamada sociedade. Só não consigo visualizar a coisa como "normal". Hj pode ser até comum, mas eu não me encaixo pra achar isso. E respeitar, eu respeito, tanto que no post todo, não ofendi ninguém (agradeço por compreender isso) e muito menos me considerei a dona da verdade. Cada um segue sua vida como quer, cada um é responsável por seus atos. Eu vejo a pessoa, não o que ela faz ou no que acredita.

Bjs, flor, valeu!

Neny disse...

Não tem como não ser polêmico ao falar de Butch e V, não adianta. Eu não queria que eles ficassem juntos, acho que não era hora pra isso na serie. Desde que ele conheceu a Marissa ja foi lindo.acho eu entendi a Marissa..fiquei com dó em umas partes e outras queria dar um sacode na mulher.
Massss ja o Blay e Qhinn eu quero tanto, mas tanto :DD se não tem noção. Acho que é meu lado gay fluindo ;D.
Beijos.

Marcia disse...

Puxa eu ainda não li nenhum...snif...e tb estava por fora de toda essa polêmica.

Só posso dizer que tem todo o direito de expressão, afinal não dizem que somos um País Democrático, ou será que não é bem assim...

Mas, o que gostei de tudo isso..calma Doida vou explicar rs...é tu aqui comentando nossos comentários, precisa fazer isso mais vezes.

Fica de boa e bem.

Bjs.

Carla Blackhawk disse...

Neny, obrigada pelo coment. Adorei o lado gay fluindo. kkkkkkkkkk, bjs.

Carla Blackhawk disse...

Marcinha, vc é VIP aqui no Brógui, bem. Vou procurar comentar sempre por aki. Bjs. :))))))))))))

Hérida Ruyz disse...

Oi Carla!
Postei minha resenha de Amante Revelado hoje. Amei o livro do Butch, achei intenso e romantico. Não achei a Marissa chata, mas achei que ela foi muito passiva. Claro que isso não atrapalhou, mas se ela participasse mais do "rala e rola",com certeza a história ia esquentar ainda mais. rsrs
Com relação ao seu debafo...adorei sua sinceridade. Gostei da apimentada do V. nessa história, mas porque não saiu do platônico. Como nunca li um romance com uma relação homosexual, não sei se gostaria ou não.

Adorei seu post
Bj

Carla Blackhawk disse...

Oi, Hérida Fui la no teu blog e comentei! Valeu por compartilhar tua opinião, tah? Bjs.

Isa Souza disse...

Oi oi oi,
Eu não li a resenha, pq vi spolletão la enton passei reto hihihi

Eu não li a Irmandade ainda, tenho até os ebooks aqui a anos e nada. Mas sempre ouvia essa história de B e V e não sei mais la o que.
Eu já li livrinhos de menage, os Colters e teve um em que os caras eram namorados e quiseram uma esposa e tal e ficou tudo por isso mesmo.
Não é com certeza meu estilo favorito, estranhei sim, por isso te entendo bem, mas foi bem legal :)
Voltando a IAN, quem sabe quando eu ler eu concorde ou não contigo né? Acho que depende. Não tenho conhecimento de causa hahaha

*pq será que eu tenho a impressão de não ter dito nada com nada?*

bjs ;*

Isa,
www.opsisa.com.br

Layout por Flavinha Garota de Aquario.