terça-feira, 16 de abril de 2013

ESPECIAL DE NIVER - RESENHA: CARLA FERNANDA

Convidada do Blog de hoje: Carla Fernanda, do Blog Sonho de Reflexão.





RESENHA


PRA SEMPRE... VOCÊ! - CARLA BLACKHAWK




O passado, muitas vezes, se faz presente... E da forma mais complicada possível. Marjorie pensava assim. Ver sua filha Beatriz, de 3 anos brincando, feliz, a deixava mais calma. 
Mas ela tinha um pai, que não sabia de sua existência. Mas como explicar a ela que seu pai nem sabia o nome da sua mãe? Nem sabia como era seu rosto? Mal sabia ela que o passado estava mais próximo dela do que imaginava. 
O bombeiro Dougal Mac Adam estava de volta. E muito perto. Perto demais...


Para comemorar essa data mais do que especial, nada como falar um pouquinho de um dos seus romances, que foi o primeiro livro dela que li e me apaixonei pelos personagens, que me cativaram desde o princípio.
Com vocês...


PRA SEMPRE... VOCÊ!
CARLA BLACKHAWK
Clube de Autores

Primeiramente, quero dizer que fui uma das grandes incentivadoras, para que a querida Doidinha, como é carinhosamente chamada pelos amigos, publicasse o seu tão sonhado livro, já que ela relutou tanto. Para quem não conhece, ela é a Carla Blackhawk, do blog Doida y Romântica.
Fui uma das que leram o manuscrito em primeira mão enviado pela autora e, assim que concluí a leitura, fiquei encantada. É sempre uma honra ler algo que ainda não foi publicado, porque é uma forma de prestigiar nossos autores, como também vemos as emoções dos próximos leitores. Enfim, o livro foi publicado e a capa ficou linda. Deu aquele ar romântico, como só o enredo nos proporciona!


O passado, muitas vezes, se faz presente...
E da forma mais complicada possível.

Marjorie trabalhava em uma confeitaria e cafeteria, que seu pai, deixou-lhe de herança. Era idolatrada por Jair, Leandro e Maurício, seus três meios-irmãos, que eram superprotetores. Era muito amada pela família e pela comunidade, mas seu coração fechou-se para o amor.
Livre e descomprometida, vivia uma vida feliz com sua filhinha Beatriz, que criou sozinha, cujo pai não sabia de sua existência, porque nunca soube o nome e nunca viu o seu rosto quando se conheceram. Quando souberam da gravidez, seus irmãos queriam matar o responsável, mas nunca souberam sua real identidade.


Abriu sua caixinha de joias e pegou uma insígnia, como um broche, usado pelos oficiais. Lá, um nome: Cap. Mac Adam. Ela o apertou sobre o peito. Jamais o esquecera. Jamais!

Mal sabia ela que o passado estava mais próximo dela do que imaginava. O bombeiro Dougal Mac Adam, filho de um escocês e de uma espanhola, estava de volta. E muito perto, porque o corpo de bombeiros apareceu na cidade para aula de primeiros socorros e o chefe da equipe era muito rígido com as regras.
Os dois relembram reminiscências do passado.
Mac foi recrutado para ir aos EUA, em um treinamento intensivo, onde acabou indo a um Baile da Corporação de Bombeiros, em uma festa à fantasia, cujo objetivo era angariar fundos para uma creche da cidade onde conheceu Marj, que tinha ganho um sorteio na sua cabeleireira.
Era estranhamente incômodo não saber quem era ela. Nunca uma mulher mexeu tanto com ele como ela. A mascarada. A garota de olhos castanhos mais expressivos que ele já tinha visto.
Adorei o humor e a insistência de Renata, para que a amiga fosse ao baile, porque vivia questionando sua rotina e queria que Marj se divertisse e saísse daquele marasmo que era sua vida.
(...).
- Chega de eu, Marjorie. E vê se arranja um homem bem gostoso e bonitão. Não necessariamente nessa mesma ordem.
Marj a olhou.
- E solteiro!
As duas falaram ao mesmo tempo e riram.

No baile, Marj sentia-se uma princesa, mas mal sabia que encontraria o seu príncipe encantado.
Sentia-se num castelo, com figuras vindas de todas as épocas. Até que seus olhos depararam com um... homem? Sim, claro, um homem de saia. Não, corrigiu-se, um homem com um kilt escocês. Tinha o cabelo castanho revolto, com um charme inconfundível. Estava sem máscara. Meio longe, ela percebeu que tinha os olhos claros. Marj olhou para os dois lados, não acreditando que, um homem como aquele, olhava pra ela.
Na definição da autora, Mac "tinha olhos verdes-claros, uma boca pra lá de sensual, um nariz proporcional, queixo quadrado, barba por fazer...". Além disso, ele era charmoso, com um toque de malícia, atraente, másculo e extremamente sexy, onde suas carícias eram ardentes e sutis. As cenas explícitas entre os dois eram sensuais e “muycalientes”. Como as minhas amigas dizem bem HOT.
E, apesar de viver uma noite inesquecível, Marj nunca mais o viu, mas acabou engravidando de Bia. Ambos seguiram com suas vidas, até que em um evento dos bombeiros na cidade...


(...) seu sorriso vai sumindo lentamente. Um par de pernas aparece por trás do caminhão. Um homem alto, moreno, com óculos escuros, carregava sua menininha nos braços.
- Não...
A voz foi um sussurro.
- Marj, ta sentindo-se bem? Tá pálida.
“Calma, Marjorie. Ele nem sabem quem é você.”
- Não, eu... euto bem. Sério.
- Ah, ali está meu chefe, o Cap. Mac Adam. Dougal Mac Adam.
Como se ouvisse seu nome, ele veio até Leo. Cada passo, cada momento mais perto, ela tremia. Quatro anos. Quatro longos anos, e aquele homem voltou. E carregava a própria filha nos braços.

Com os dias, seu olhar de predador atravessava sua alma e tinham um efeito devastador sobre ela. Quando estava perto dele, Marj derretia-se e só ele podia apagar o fogo que a consumia por dentro.


(...). E não conseguia esquecer a voz sussurrada de Mac em seu ouvido. Ela tava brincando com fogo. Podia se queimar. E era um certo bombeiro que ela imaginava apagando esse fogo...
Será que guardara um sentimento tão intenso por um homem que mal conhecia, durante quatro anos? E como seria agora, que ele estava tão perto? O que seria dali em diante de sua vida? Um determinado dia, Mac disse que queria conhecê-la melhor, sem saber na realidade quem ela era.
- Sinto que há alguma coisa entre nós. Uma atração, uma sintonia... Desde a primeira vez que a vi. E sinto pelo seu olhar que é recíproco.
Ele roçou seus lábios nos dela.
- Eu sempre consigo o que quero. E o que quero é você!

O que Marj faria? Fugiria ou aproveitaria a oportunidade que a vida lhe oferecia com o pai de sua filha?
E, quando tudo parecia estar entrando nos eixos, o mundo de Marjorie e Mac Adam desaba. O que será que aconteceu? Isso, você só saberá lendo o livro (risos).
Esse livro de apenas 180 páginas foi inesperado para mim, porque há muito tempo não lia algo nesse estilo de forma tão agradável, onde tive sentimentos conflitantes e um torvelinho de emoções à flor da pele, porque não sabia se ria, chorava, suspirava com as cenas doces, românticas e, ao mesmo tempo, extremamente sensuais ou esbravejava com a obstinação dos personagens.

A Marjorie é uma mulher de personalidade forte. Obstinada, mesmo com suas inseguranças e medos, possui uma fragilidade encantadora, envolvente e cativante. É fiel a todos os seus princípios, apesar de tudo que sofreu na vida em nome do amor.
Dougal Mac Adam é o homem que toda mulher sonha, honrado, gentil, educado, um cavalheiro à moda antiga, romântico, apaixonado, leal e fiel à pessoa amada, onde você acaba rendida aos seus pés por seus encantos, porque ele é cativante, apaixonante, charmoso e sedutor. Ao mesmo tempo, que ele te fascina, também te repele pelo orgulho em si por conta do seu ciúme, do seu temperamento explosivo e possessivo, que é um dos defeitos da sua personalidade, que acaba gerando muito sofrimento desnecessário, por conta da sua arrogância e teimosia.
A Beatriz, carinhosamente chamada de Bia, é um encanto de garotinha, que sofre até bullying na escola por causa dos seus olhos de duas cores. Com apenas 3 anos, é muito determinada, além de ser inteligente, perspicaz, observadora, espontânea e peralta. Linda, geniosa e atrevida, você vai cair de amores por ela, que também é de uma meiguice e doçura. Ela lembrou-me demais da garotinha Tiga, do livro “A Filha da minha melhor Amiga”, da Dorothy Koomson. Se vocês soubessem o que a Bia apronta por conta de seu atrevimento e inconveniência!!! Qualquer mãe que tem filho pequeno se identificará com Marj, porque a filha deixa-a em apuros nos momentos mais impróprios (risos).
Adorei os personagens secundários (acho que cada um daria um bom livro, especialmente a Renata que merecia uma história só dela), que são tão atraentes aos nossos olhos, que você anseia em saber mais sobre os mesmos e acaba invariavelmente torcendo por cada um.
Adorei todos, sem exceção, mesmo com seus defeitos, mas isso é o que os torna tão interessantes com o seu jeito peculiar de ser:

- Leandro era aspirante a bombeiro; Maurício, o charmoso professor de jiu-jitsu e também instável, ciumento, preconceituoso e insensível; e Jair, o fisioterapeuta. (Os meios-irmãos de Marj tinham um humor apurado e característico, como a própria autora diz: “Eles costumavam brincar que, Maurício quebrava, Jair consertava e Leo curtia a vida.”);

- Ranald, irmão de Mac, que administra o bistrô da família. É um homem honrado, carinhoso e íntegro;
- Otavio, um advogado charmoso, que está afim de Marj;
- Renata, amiga de Marj. Sincera, impetuosa e doidinha como ela só, mas no fundo é uma romântica sonhadora e incorrigível, além de ser muito extrovertida. Ri muito com ela em diversos momentos, entre eles:


- Ai, o Mau é um indeciso. Eu vou ver um bando de homens sarados, fazendo uma demonstração de como reagir a um afogamento. Eu preferia me afogar e receber uma respiração boca a boca.
- O que eu perdi? Marj, se um homem falasse nesse tom baixo e rouco como ele fez, eu já ia rasgando minha roupa e me jogando pra cima dele!
- Aproveita... E se joga, ok?
- Tenho medo de cair nessa jogada...
Renata fez um gesto com as mãos.
- Senhor, um homem daqueles caído por ela e ela ainda tem dúvida... Por que não cai um desses em minhas mãos?

Recomendo para todos que curtem um excelente romance, com todos os ingredientes que tornam o livro apaixonante, como amor, paixão, carinho, afeto, confiança, sinceridade, cumplicidade, união familiar, amizade, compreensão, perdão, humor (que garantiu ótimas gargalhadas), entre eles:


- Vai querer uma mesa?
Ele olhou para as duas.
- Se as senhoras quiserem companhia...
Isolda riu, toda feliz.
- Para de ser papa-anjo, Isolda.
- Pode ficar, meu rapaz. Será um prazer.
- Papa-anjo? Ora, Joana, eu estou velha, mas não estou morta.


- Capitão, vamos ter que usar... shortinho?
Todos os recrutas riram de Marcos.
- Meu caro recruta, macho não usa shortinho; macho usa calção.

Além disso, o livro também passa belas mensagens.


- A vida é feita de erros e acertos, filho. De perdão, de arrependimento. E não temos todo tempo do mundo para esperar. A vida corre rápido demais, não há tempo para pensar com calma. Não no seu caso.
Ele parou e olhou para o céu.
- Humildade, meu filho. Para reconhecer que erramos. Se não houver reconhecimento, significa que acredita naquilo que disse pra ela. Acredita?

O final foi surpreendentemente romântico e, ao mesmo tempo, divertido!

Você está esperando o que para ter o seu?! Venha conhecer Marj, Mac, a pequena Bia e todos os seus amigos, e apaixonar-se por esses personagens encantadores.
Para quem não conhece Carla Blackhawk, ela define-se em poucas palavras: "Leitora de romances compulsiva, escritora por vocação, serva de Deus, Corinthiana roxa, Gerardolatra por opção, cantora por ordem de Deus e Doida por natureza."
Sobre seus livros: "Escrevo somente livros com temática romântica, recheado de valores da vida real."
Se quiser saber como foi a pesquisa para escrever o romance Pra Sempre... Você!e curiosidades acerca dos personagens e de algumas cenas, clique aqui! (O mais curioso, é que já desconfiava em quem ela tinha se inspirado para criar o Mac, mas a Renata foi uma grande surpresa. Quando li esta postagem, ri muito).


Parabéns Doida y Romântica, continue inovando e trazendo sempre novidades e muito bom humor a todos nós leitores, que só temos a agradecer pela companhia diária. Que venham muitos anos pela frente com muito sucesso eque esta comemoração seja mais um número entre tantos bem-sucedidos aniversários.
Agradeço a Doidinha pelo convite como também pela amizade e carinho de sempre.Continue perseverando - com muita garra, determinação e otimismo -, tornando este cantinho ainda mais especial. Afinal tudo que é feito com amor e dedicação transborda e só propaga coisas boas ao mundo.Tenho um carinho enorme por ti, que além de ter um dom nato para a escrita, também é apaixonada por romances.
Para comemorar essa data mais do que especial, nada como falar um pouquinho de um dos seus romances, que foi o primeiro livro dela que li e me apaixonei pelos personagens, que me cativaram desde o princípio.




EU: Carlinha, você é uma das pessoas que mais admiro pelas resenhas que escreve... Fora a apessoa linda que é. Muito obrigada pelas palavras e pela resenha maravilhosa. Beijos.





0 Marcando Presença!:

Layout por Flavinha Garota de Aquario.