sábado, 17 de março de 2012

DOIDA POR ELE - LOCO ABREU, POR BETA OLIVEIRA

Hoje minha convidada é a Beta Oliveira, que é...




DOIDA POR ELE - LOCO ABREU














O nome dele é Washington Sebastían Abreu Gallo. 35 anos. Bem casado. Pai de quatro filhos (Valentina, Diego e os gêmeos Franco e Facundo). Ganhou o apelido de Loco ainda adolescente, por conta de algumas atitudes inesperadas. A mais divertida dela foi quando, então jornalista, foi incumbido de escrever uma matéria sobre o resultado de um torneio juvenil de basquete e sobre o destaque da decisão. Acontece que ele fazia parte de uma das equipes finalistas, venceu e foi o nome do jogo. E para fazer a matéria? Não pensou duas vezes: escreveu o texto e se entrevistou! E ainda assinou! Coisa de doido? Não, coisa de Loco! (e deve ser genético, porque a mãe dele é uma figuraça!!!).


A primeira vez que o vi estávamos em lados opostos. Eu estava em uma pizzaria, comemorando o aniversário do meu pai. Ele estava em campo, pela seleção do Uruguai, contra o Brasil e teve a audácia de bater um dos pênaltis na decisão da vaga na final com uma cavadinha! Neste embate, o Brasil levou a melhor.


Alguns anos depois, voltamos a nos reencontrar. Ele estava na capa de um jornal de esportes anunciado com certeza como o novo reforço do meu time, Botafogo. Achei que era pegadinha. Um jogador de seleção vir, por livre e espontânea vontade, ao Botafogo – que andava uma maré deprê à la Maysa. Montava time bom, morria na praia, deprimia e quase não morria na série A. Talvez quando ele fez a pesquisa que determinou a escolha, não havia tantos detalhes porque fez a maior a cara de susto dele na recepção no aeroporto. Se para ele, era a chegada em um clube, para o Botafoguense era quase como a chegada de um profeta salvador. Meu time precisava de alguém que chutasse o balde em alguns comportamentos que já estavam com raízes arraigadas no clube. Meu time precisava de alguém que erguesse a bandeira e comandasse o grupo rumo à vitória. Os torcedores – como eu – precisavam de alguém em quem acreditar. E para alguém se candidatar – mesmo involuntariamente – a este cargo só sendo doido. Por isso, havia um grupo à espera do uruguaio com a mensagem: “Bem-vindo ao hospício”.




Estreou em uma tragédia – um daqueles jogos onde tudo dá errado e a maionese desanda com força. No entanto, soube dar a volta por cima e o time foi no embalo. A final da Taça Rio, que poderia ser a decisão do Carioca de 2010 colocou o trauma dos vice-campeonatos recentes à prova. E em se tratando de exorcismo, Loco Abreu é mestre: a cavadinha mais amada pelos alvinegros foi uma REDENÇÃO em letras garrafais (acho que meus vizinhos têm uma memória não muito afetiva da minha reação a respeito disso).


Por causa deste amor (mas não apenas por causa dele: afinal de contas, a seleção brasileira é mais irritante que inspiradora), muitos Botafoguenses (onde estou incluída, de novo) viraram a casaca na Copa de 2010. Ostentando a camisa alvinegra do gringo, o orgulho de ter um representante no maior evento mundial do futebol, em uma equipe que realmente lutou pelo sonho do título (pena que a Holanda atravancou o caminho do Uruguai, embora, mais cinco minutos na semifinal, eles empatariam o jogo, tenho certeza!) E com o luxo de dar outra cavadinha na decisão por pênaltis contra Gana, na melhor partida da Copa.


No mais, teve o gol contra o Santos no Pacaembu em 2010  em meio a uma crise interna, ele nos deu a vitória. No ano passado, teve a pancadaria contra o Avaí (ok, foi errado, mas tá pedindo demais que ele e o Herrera tivessem sangue de barata. Eu não tenho e sou brasileira...), o momento zagueiro contra o Corinthians para segurar a vitória de 2 x 0 no Brasileirão (porque o Botafogo estava com 1 a menos e levando sufoco – nooooormal).


No ano passado, foi para a Argentina, com as bênçãos e torcidas alvinegras, e ganhou a Copa América com o Uruguai (e pra não deixar de ser imprevisível, caiu na web a comemoração da Cavadinha XD). Já perdeu gols feitos, marcou outros tantos, causou polêmicas, resolveu confusões, fez os comentários mais sensatos vindos de um boleiro (que mostra que, de Loco, ele só tem o apelido), contribuiu para defender o bom nome do #13 (que eu amo por ser o dia do meu aniversário) e impôs respeito (pela quantidade de respostas atravessadas que distribuiu na imprensa brasileira, pergunta se alguém faz brincadeira idiota com ele?). E foi pra frente das câmeras, apresentando um programa na televisão uruguaia, Noches de Locura e agora virou comentarista da Fox Sports para as partidas do Nacional, o clube de coração, na Copa Libertadores.


E Loco trouxe aquele toque de garra, cojones e a sandice que o Botafogo tanto necessitava para escapar daquela melancolia de Pierrô abandonado no Carnaval. O Botafogo – através dos torcedores carentes e apaixonados – retribuiu com um amor que ele nunca teve em clube nenhum, ao ponto de ele ter incluído o escudo do time na camisa das recordações que usa por baixo do uniforme. (*Claro que ele não é unanimidade, há quem queira vê-lo pelas costas o quanto antes). E é assim que vamos, juntos, em busca de sonhos, lutando contra moinhos, arbitragens e adversários. Não será eterno, mas será infinito enquanto dure.


E, mesmo depois disso, sempre serei loca, muy loca, totalmente loca pelo Loco.



Bacci!!!


Beta – Literatura de Mulherzinha (www.livroaguacomacucar.blogspot.com)



Galeria de fotos:







Família:


Homenagem pelos 50 gols com a camisa do Botafogo:


 


EU: Infelizmente não coloquei os videos do Tubo pra evitar a fadiga com ECAD. Triste.
Betinha (sim, a chamo de Betinha) é uma das pessoas que mais admiro nesse meio internético (vish). Jornalista, Botafoguense (ninguém é perfeito) e com uma sensibilidade pras coisas além do normal. E escreve muito!
Ok, já rasguei bastante seda e vou dar minha conclusão sobre o Loko: é o "feio" que dá vontade de dar colo, saca? O cara é marrento e irônico, mas ainda assim da vontade de apertar as bochechas! kkkkkkkkkkkkkk.


Quero agradecer a Betinha por ter topado a brincadeira. Valeu!


Fica esperta, mano! Já sabe... :D

1 Marcando Presença!:

Anônimo disse...

kkkk tô rindo muito Carla! Tua amiga tá certíssima em ser LOKA por ele. Adoro o loquito aí,e,concordo contigo : dá vontade de lhe dar um colinho .... Kkkkkkkk amei o post!
Mari Novais

Layout por Flavinha Garota de Aquario.